quarta-feira, dezembro 30, 2009

Lost

What was I waiting for Waiting for the bubble to burst Over your stagnant pauses Can?t cure what your devil don?t see Or light a fire below the death of me We?ve shot through all over our causes Days spin through my heart That sever the love Kill all the pain with shame I won?t be lost without you I?ve found a way to get through Now I?m up and running Strong enough to walk away And leave you all alone I won?t be lost What were you waiting for Waiting for the straw to break Over the back of desperate ways You were a dream to me Now you?re nothing but a heart that bleeds I?ll wash you off and carry on (Repeat bridge and chorus) And when I see you I find another reason To keep myself from getting lost in you Votos de liberdade pra 2010 :)

segunda-feira, dezembro 28, 2009

Festas natalícias matam!


Na verdade, não são as festas que matam mas o nosso descuido na alimentação e hábitos. Era bom que houvesse a preocupação com isso, mas as mesas fartas, coloridas e o calor humano continuam a exercer pressão sobre as moderações e aí, entramos na derrapagem e nos perigos do radicalismo.
Aqui em anexo um video explicativo de como o colesterol alterado pode provocar danos fatais ao nosso organismo. Boas festas com saúde.

quarta-feira, dezembro 02, 2009

Casos reais silenciados



Onde a dor convive, lado a lado, com a hipocrisia, com o status, com a vergonha e a patologia.
Somos fracos, mas somos essencialmente fortes nas fraquezas. Porque somos humanos?
O cancro na mama limita-nos as expectativas de vida e, sabermos lidar com essa diminuição é já de si um bonus para caminhos dificeis. Quando, ao nosso lado, e frise-se ser um profissional de saúde, vive um homem que "salva" a vida de outros e nos submete a uma tortura psicológica, o bonus acresce-se em dificuldade e savoir fair. A vida de quantos neste reduto ameaçada?Sob a mortalha do silêncio, sob a aparência da felicidade? Que preço temos de pagar? Que humanidade resiste em nós e qual se extingue e porquê?
Se tiver conhecimento de abusos, é seu dever informar. Ou deduz-se daí cumplicidade. Não queiramos ser cúmplices.
Não cale, grite. O problema da violência não é seu mas de todos.